EuropaFazerVarsóvia

Outras Informações

Post
  1. As bombas destruíram por completo o Stare Miasto, a parte mais atrativa de Varsóvia. A partir dos fragmentos originais de muros, paredes e muralhas, se reconstruíram as casas de distintas cores rodeadas por muralhas, as torres das igrejas e o Castelo Real. O trabalho foi realizado de maneira tão fiel que a UNESCO incluiu o centro histórico de Varsóvia como Patrimônio da Humanidade.
  1. Na praça Rynek Starego Miasma encontra-se o Museu Historyczne Warszawa, em cujo elegante interior se expõe a história da cidade desde as suas origens (3ª-Domingo: 10.00/11.00-15.30/17.30) e a Catedral de Swietego Jana data do século XIV. Nela tiveram lugar as coroações dos reis e se jurou fidelidade à Constituição.
  1. A rua Swietojanska leva da Praça do Mercado a Plac Zamkowy, a Praça do Castelo, onde se encontra o Castelo Real ou Zamek Królewski. Completamente destruído na Segunda Guerra Mundial, a sua magnífica reconstrução levou mais de trinta anos (3ª-Sábado: 10.00-16.00, Domingo: 11.00-16.00).
  1. Na Praça do Castelo pode-se apreciar o monumento civil mais antigo de Varsóvia (1644) e o mais característico: a Coluna Zygmunta, levantada para comemorar o rei Segismundo III Vasa. Nesta praça começa a Rota Real, que leva aos parques de Lazienki e Wilanów. O caminho passa por palácios, igrejas, casas elegantes, edifícios governamentais e parques históricos.
  1. A Sul do Castelo está a igreja de Santa Ana (Kosciot sw. Anny), do século XV, que sobreviveu aos bombardeamentos. Pode-se subir à torre para obter uma vista da Cidade Velha e do rio (11.00-20.00).
  1. A rua Krakowskie Przedmiescie foi durante séculos o lugar favorito de passeio de varsovianos e turistas. Esta rua logo troca de nome, a Nowy Swiat, que vai até os parques barroco e neoclássico de Wilanów e Lazienki. No jardim de rosas de Lazienki ergue-se o monumento a Chopin, construído em 1926 em estilo art nouveau. O seu principal legado conserva-se no Museu de Chopin, que mostra até 4000 objetos pessoais do genial compositor (2ª, 5ª, 6ª: 10.00-17.00, 4ª: 12.00-18.00, Sábado-Domingo: 10.00-14.00).
  1. Aproximadamente 350000 judeus habitavam o gueto de Varsóvia em 1939, na área onde hoje esta o bairro de Muranów. A maioria deles foi enviado a campos de concentração nazi, onde mais de 100000 morreram. Hoje em dia, na cidade só habitam uns 2000 judeus. Restam alguns vestígios da herança cultural dos judeus como a Sinagoga Nozyk, que sobreviveu aos destroços da guerra, e o Cemitério Judeu (Domingo a 5ª: 10.00-16.00, 6ª: 9.00-13.00).
  1. O Monumento aos Heróis do Gueto, na união das ruas Anielewicza e Zamenhofa, homenageia os protagonistas do Levante de 1943. Ironias da vida, a pedra que recolhe as esculturas foi trazida por Hitler da Suécia para construir um arco da vitória. Perto encontra-se o Museu-Prisão Pawiak (4ª a Domingo: 10.00-16.00; grátis) que expõe cartas e objetos pessoais das vítimas.
  1. Outros sítios de interesse são Umschlagplatz, uma impactante escultura que marca o ponto onde os judeus polacos foram deportados para campos de concentração do Este. As ruínas dos muros do gueto podem ver-se na rua Sienna 55.
  1. O principal exemplo da arquitectura do realismo socialista é o Palácio da Cultura e da Ciência ou Palac Kultury i Nauki (9.00-20.00), na extensa praça de Defilad. No seu interior há mais de 3000 habitações, além de museus, teatros, oficinas, restaurantes e outros locais.Suba até o piso 12 e para ver um excelente panorama de Varsóvia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *