Quito

Localizada bem no “meio do mundo”, a cerca de 2850 metros acima do nível do mar e se espalha sobre um vale em plena Cordilheira dos Andes rodeada por vulcões andinos. A capital do construída em 1534 sobre uma antiga cidade inca. Possui um bem preservado centro histórico, em um estilo que ficou conhecido como “barroco de Quito” uma mistura de influências hispânicas, árabes, flamencas, italianas e indígenas pré-colombianas. Ruas estreitas, casario colonial e uma infinidade de museus históricos e igrejas imponentes são o convite para explorar a região central da cidade, listada como patrimônio da humanidade pela Unesco. São 3,75 km², mais de 130 prédios tombados e 5.000 casas e lojinhas que dão o charme para a região. O centro da cidade é certamente um dos grandes atrativos de Quito, mas não deixe de explorar o entorno e visitar alguns dos vulcões da regiã

Onde Ficar

América do SulDestinosFicarQuito

Illa Experience Hotel

Website

 Pequeno em tamanho, mas grande em todo o serviço. Antiga casa colonial recuperada, no limite do centro histórico de Quito, muito próximo de todos os monumentos e numa zona muito sossegada. Espaços comuns limitados, não tem propriamente uma sala de estar e a agradável sala de jantar é pequena. Equipe do hotel muito simpática, prestativa e profissional. Restaurante não tem cardápio, mas o chef dá boas sugestões para quem não quer um dos menus de degustação. Bom café da manha servido na sua mesa.

América do SulDestinosFicarQuito

Hotel Casa Gangotena

Website

O Hotel Casa Gangotena é uma mansão familiar transformado boutique hotel cuja construção é datada de 1926. O estilo arquitetônico do prédio lembra os grandes hotéis europeus dessa época. Os quartos são bem grandes e lindamente decorados. O banheiro é amplo e revestido de mármore com amenidades da marca L’Occitane, roupões, toalhas enormes e macias, banheira, ducha de fácil regulagem, espelho de aumento e secador de cabelo com boa potência.

Café da manhã no estilo de buffet é excelente. Tem uma enorme variedade de frutas frescas e secas, suco de frutas, iogurtes, cereais, pães diversos (inclusive pão de queijo, que lá se chama pão de Yuca), frios, salmão defumado, queijos variados.

O atendimento é muito cuidadoso e atencioso. A localização no centro histórico é a melhorVista linda da torre da Igreja de São Francisco.

Onde Comer

América do SulComerDestinosQuito

ZFood

Website

Restaurante especializado em peixes, funciona também como peixaria, você pode escolher e levar peixes e frutos do mar para casa. Tem diversas opções, bom atendimento, boa comida e ambiente agradável. Experimente o polvo na grelha, o filé de atum selado, camarão com molho da casa todos cozidos a perfeição. Para finalizar sobremesa de Oreo com Nutella, dos Deuses. Porçoes generosas e apresentação perfeita. Bem recomendado.

América do SulComerDestinosQuito

Urko

Website

Trata-se de um restaurante sofisticado, um pouco caro, com uma proposta diferente. A cozinha é aberta.  Da sua mesa, consegue acompanhar a movimentação e a preparação dos pratos. E também pode observar a limpeza e o cuidado na cozinha.

Os pratos são preparados com muito requinte (a apresentação dos pratos é algo à parte). Existem ótimas opções no cardápio A cozinha é equatoriana, ou seja, utiliza em seus pratos ingredientes locais. Busque por novos sabores e tenha uma experiência gastronômica diferente! Não só a comida é excepcional, mas o serviço também. O Urko poderia estar facilmente em Chicago ou NY na lista dos restaurantes de “TOP”.

O Que Fazer

América do SulFazerQuito

Cuenca

A cerca de 40 minutos de voo de Quito está Cuenca, terceira maior cidade do país. Fundada em 1557, Cuenca tem em seu Centro Histórico bem preservado, patrimônio da humanidade declarado pela Unesco, o principal atrativo. Mas esta bela cidade também se destaca pela gastronomia, parques, museus, música, e muitas outras atrações. Poderia ser definida como a capital cultural do Equador. Os principais atrativos desta magnífica cidade estão ao alcance de uma caminhada. Delicie e aprecie as antigas construções, algumas que datam do século XVIII. As fachadas mantidas ao longo do tempo remetem ao estilo republicano e colonial que evidenciam a antiga arquitetura europeias, principalmente a influência francesa e espanhola. Muito característico da cidade são as pequenas sacadas, as igrejas e as praças.

Na praça principal, chamada de Parque Calderón, encontra-se a Catedral da cidade. De um lado a Catedral Nova de Imaculada Conceição e do outro a Catedral Antiga. A Nova é uma construção majestosa de tijolos e pedras com suas cúpulas azuis, cartão postal da cidade. Dentro, o chão é revestido de mármore rosa importado de Carrara, na Itália, e tem o altar inspirado na Basílica de São Pedro, no Vaticano. Já a Catedral Antiga foi transformada num museu, com entrada a US$ 2. O centro histórico abriga outras diversas igrejas. Vale a visita Igreja de São Francisco, São DomingoeEl Carmen, esta última com sua encantadora feira de flores. Na Calle General Torres, entre Mariscal Sucre e Presidente Cordova, encontra-se o Mercado de Artesanias, para a compra de presentes e artesanato local, destaque para as cerâmicas. É de Cuenca o famoso artista Eduardo Veja, que tem painéis de cerâmica espalhados pelo mundo, e um ateliê perto da Igreja de Turi no morro ao sul da cidade.

O Museu Remigio Crespo Toral conta com um grande acervo de peças arqueológicas, algumas incas, e peças coloniais. Já o Centro Interamericano de Artes Populares abriga arte de vários países latinos.

Você conhece o chapéu do Panamá? Apesar do nome é fabricado em Cuenca. Ganhou o nome de Panamá durante a construção do Canal no início do século XX e a comercialização feita a partir deste país. Mas é no Equador que este chapéu de palha é moldado e feito num processo quase totalmente artesanal. Um dos mais famosos é o fabricante Homero Ortega que já vestiu a cabeça de muitas celebridades pelo mundo. Na Avenida Gil Ramírez Dávalos, perto da rodoviária, você pode conhecer a fábrica e se encantar com os diversos modelos que podem chegar a US$ 200.

Gastronomia – Fica aqui a dica de três restaurantes imperdíveis: El Tiesto, cozinha local com um charme e sofisticação ($$$); El Mercado, comida contemporânea num ambiente super descolado com vista para o Rio ($$); Cristo del Consuelo, afastado do centro, mas a visita é recompensada pelo ambiente acolhedor, grandes porções e churrasco a moda equatoriana ($).

América do SulFazerQuito

Museo Nacional

Localizado no edifício circular, em vidro e marco da Casa de la Cultura, é uma das maiores coleções de arte equatoriana do país, com magníficas obras de arte religiosa pré-hispânica e colonial. A coleção do museu inclui mais de 1000 peças de cerâmica datadas de 12.000 aC a 1534 dC, com destaque para as garrafas de apito da cultura Chorrera, figuras mostrando a deformação do crânio praticada pela cultura Machalilla, taças de serpente selvagem das representações Jama-Coaque e cerâmica de tzantzas (cabeças encolhidas).Os “machados de moedas” da cultura Milagro-Quevedo e as famosas cadeiras de pedra cerimoniais da cultura Manteños também são interessantes. Exibe na Sala de Oro (Gold Room) incluem uma magnífica máscara de sol dourado radiante. As exposições arqueológicas incluem pontas de flechas dos primeiros caçadores-coletores nômades do Equador, a cultura Valdivia (primeiros agricultores agrícolas do Equador) e o Inca.

América do SulFazerQuito

Vulcão Cotopaxi

Parque Nacional do Cotopaxi é outra maravilha imperdível. É uma zona protegida, a 60 km  de Quito, a qual está localizado um dos vulcões ativos mais altos mundo, o Cotopaxi. No vulcão há um refúgio para alpinistas prepararem uma escalada, que se necessita um guia autorizado como acompanhante. Por ali também há local apropriado para camping e chalés aos menos ousados que queiram dormir ao pé do vulcão.

América do SulFazerQuito

Monasterio Museo del Carmen Alto

O Monasterio Museo del Carmen Alto, construído em 1653 e ainda lar de uma ordem de 20 freiras carmelitas, agora abriga um museu interessante. Exposições exploram as rotinas diárias das freiras que fizeram suas vidas aqui, incluindo Marianita de Jesus (1618-1645), padroeira de Quito. O prédio de dois andares, caiado de branco, envolve um pátio interno repleto de sol, e várias salas contêm pinturas emotivas e religiosas. Passeios gratuitos em espanhol.

América do SulFazerQuito

Casa Museo Guayasamín e Capilla del Hombre

A residência do artista Oswaldo Guyasamín(1919-1999),, um dos mais importantes pintores equatorianos, foi transformada em um museu que abriga a mais completa coleção de obras do artista. Guayasamín também era um ávido colecionador, e o museu exibe sua notável coleção de peças cerâmicas, ósseas e metálicas pré-colombianas. No mesmo terreno fica a Capilla del Hombre, um projeto idealizado por Guayasamín como uma homenagem à humanidade, um memorial aos povos nativos da América Latina e uma forma de assinalar a esperança por um futuro melhor. Tours guiados em inglês, espanhol e francês estão incluídos no valor do ingresso.

América do SulFazerQuito

Mercado de Otavalo

Localizada a 100 km de Quito, a pequena cidade de Otavalo possui o maior e mais famoso mercado indígena do mundo. Ali é possível comprar o genuíno artesanato otavaleño, povo com grande habilidade para produzir material têxtil e para o comércio.

Os preços são muito convidativos e a variedade e a beleza das peças impressionam. Não é à toa que muita gente faz esse bate-volta só para ir às compras. O mercado funciona diariamente, mas o melhor dia é sábado, quando não apenas a praça central da cidade, mas também as ruas ao redor, se enchem de vendedores.

Os mercados e o comércio fazem parte da vida dos indígenas de Otavalo há séculos. Empreendedores por natureza, os nativos dessa região com suas calças e camisas brancas, poncho e um chapéu de feltro preto, a roupa tradicional dali, são sorridentes e muito conscientes de sua história e tradições, que buscam difundir no país e em outras partes do mundo. Desde tempos anteriores à conquista Inca, preservam um grande talento para a produção têxtil, música, negócios (que, antigamente se davam pelo trueque, ou intercâmbio de mercadorias) e para o artesanato.

América do SulFazerQuito

Teatro Bolivar

O teatro Bolivar, expoente da arquitetura art nouveau, inaugurado em 1933 vale a visita para conhecer um pouco de sua história, mesmo se não der para assistir a um espetáculo.

O Centro de Arte Contemporânea que ocupa um antigo hospital militar e recebe exibições temporárias de artistas locais e internacionais.

América do SulFazerQuito

El Panecillo

El Panecillo é considerado o principal ponto de vista de Quito, graças a sua localização a uma altura de 3.016 metros acima do nível do mar. O nome desta atração, vem do diminutivo espanhol para pão ou “pan”, devido à forma de rolo da montanha. Sua principal atração é a Virgem de Quito, composta por 7.000 peças de alumínio que reproduzem a Virgem de Bernardo Legarda original do século XVIII. Concluído em 1976, o interior da estátua de 150 pés abriga um museu.

América do SulFazerQuito

Plaza de La Independencia

Praça da Independência também conhecida como La Plaza Grande, esta praça é o local histórico mais importante da capital. É cercada por quatro edifícios que representam os elementos da sociedade equatoriana, tais como: o Palácio Presidencial, o Palácio do Arcebispo, a Catedral de Quito e o Palácio Municipal. Nos arredores você pode encontrar lojas artesanais, cafés e restaurantes com cozinha tradicional e internacional. A Plaza de la Independencia fica no coração do centro histórico tombado de Quito. Ali encontra-se parte das construções mais interessantes da cidade, como o Palacio de Carondelet (sede do governo), a Catedral Metropolitana, a Arquidiocese, a sede da prefeitura e o Hotel Plaza Grande.

América do SulFazerQuito

Museu da Cidade

O Museu da Cidade ocupa as instalações do antigo Hospital San Juan de Dios, o edifício civil mais antigo de Quito, uma instituição que funcionou por mais de 400 anos, de 1565 a 1974, como espaço hospitalar e de recepção. Uma das exposições permanentes oferece uma viagem através dos costumes, pessoas e tradições de Quito, através da sua história exibida do século XVI ao século XIX.